Página Inicial / Geral / 30/09 AGORA: Polícia Federal realiza erradicação de 96 mil pés de maconha e uma tonelada de maconha pronta para o consumo

30/09 AGORA: Polícia Federal realiza erradicação de 96 mil pés de maconha e uma tonelada de maconha pronta para o consumo

e7f8193f-4e82-49ee-8147-561a5f6169a8.jpg
ae795f5e-00db-4448-b62e-714fba23048a.jpg
23660825-2e9c-49b4-9d9f-864bea4a63a1.jpg
88f00f23-41b0-4531-aab6-41261e9e09c9.jpg
f862da38-819d-47e1-99c6-d22d7279bb6b.jpg

Salgueiro/PE – A Polícia Federal vem promovendo ações de identificação e consequente erradicação de plantios de maconha no sertão pernambucano, com o objetivo de reduzir a produção e oferta de maconha na região. Desta vez, foi concluída a quarta grande operação de erradicação, compreendida entre os dias 18 a 28 de setembro (11 dias). Foram destruídos cerca de 96 mil pés de maconha, 66 plantios, 25 mil mudas da planta e apreendida uma tonelada de maconha pronta para o consumo.

A Operação Fusarium IV contou com apoio o apoio operacional de duas aeronaves da Polícia Federal. Os policiais trabalharam com atuações em três frentes: equipes terrestre, aérea e fluvial. Participaram da operação: Policiais Militares/PE, Grupamento Tático Aéreo-GTA, Policiais Civis/PE, Bombeiros/PE.

Os plantios foram localizados por meio de levantamentos feitos pela PF em algumas ilhas dos Rio São Francisco e na Região de Orocó/PE, Cabrobó/PE, Belém do São Francisco/PE e Santa Maria da Boa Vista/PE, bem como em áreas de caatinga em Salgueiro/PE, Carnaubeira da Penha/PE, Serra Talhada/PE, Betânia/PE, Parnamirim/PE, Ibó/PE e Floresta/PE.

Com essas operações consecutivas, a Polícia Federal contribui significativamente para o desabastecimento dos pontos de venda de droga em Pernambuco, como também em outros estados da região nordeste.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Pernambuco

Você pode Gostar de:

AGORA: Capital do Sudão é fechada após tomada do poder que provocou tumultos e deixou pelo menos sete mortos

Ruas foram bloqueadas, lojas fechadas, os telefones não estavam funcionando e os alto-falantes das mesquitas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *