Página Inicial / Geral / Coluna Vamos falar sobre… Ressignificar

Coluna Vamos falar sobre… Ressignificar

Janeiro é o mês que muitas pessoas escolhem para pensar sobre seus projetos, mudar atitudes, descansar, buscar alternativas novas para velhos desafios, enfim ressignificar… promover uma mudança de visão de mundo sobre todos os fatos e pessoas ao nosso redor.

Desde a vida pessoal a profissional, dar novo significado traz a possibilidade de aprendermos a ter humildade em reconhecermos que não sabemos tudo, que podemos aprender coisas novas, inclusive o que acontece conosco, não acontece apenas conosco.

Em momentos de tristeza, desilusão e desespero muitas pessoas perguntam-se os “por quês?” : por quê aconteceu isso? Por quê comigo? Por quê somente comigo? Por quê não acontece com os outros? Mas, a pergunta é: Você entende os sinais?

Sabe aquela sensação de que estamos fazendo tudo e ainda assim não é o suficiente? Ou que o tempo que temos está curto para tantos compromissos? Ou ainda chegarmos à conclusão de quem somos já não representa nosso momento atual, seja a forma como pensamos, sentimos, vestimos, comemos. Se isso está acontecendo com você é preciso reinventar-se e isso representa dar novo significado as situações ou pessoas que nos rodeiam.

Em um universo complexo e dinâmico como o atual precisamos listar nossas prioridades. E isso implica em darmos valor ao que realmente importa, aproveitarmos os momentos sabendo que mesmo rotineiros, não se repetem, atentarmos ao sopro que é a vida em si, sem amarras, sem roteiros, sem “spoiler” já que no sentido literal não é contar o final, mas estragar o prazer de chegar ao final, qualquer que seja.

Todos os dias precisamos fazer um acordo conosco no sentido de sermos cada vez melhores. E antes que alguém pense que é papo de autoajuda saiba que sem isso não abrimos nossos olhos todos os dias para recomeçarmos. Quando pensar que sua existência não está suficientemente boa, pense naqueles que acordaram sem terem um teto, ou que receberão a notícia que mudará sua vida para sempre de forma negativa, ou ainda que não conseguem suprir o mínimo necessário para sentirem-se dignos.

Isso é perceber os sinais. É ressignificar. No campo profissional é muito comum pessoas que dizem estar insatisfeitas com suas carreiras, mas nada fazem para mudar esse cenário. Mudança requer coragem e a insegurança de sair do lugar leva muitas vezes a ficar onde está. Entretanto, enquanto a dor de ficar é suportável a pessoa aguenta, mas chega determinado momento em que a dor passa a ser insuportável e não resta outra alternativa a não ser sair da zona de conforto, já que ela não serve mais.

Precisamos chegar a esse ponto ou podemos nos reinventar antes que tudo isso aconteça? É mais inteligente emocionalmente ressignificar. Economizar tempo de vida não dando valor ao que não merece nossa atenção. A vida é muito breve para passarmos frustrados. Podemos ultrapassar essa fase e isso requer conhecimento de si e de suas potencialidades.

Começamos a mudar quando nascemos, não somos os mesmos sempre. Partindo daí por que tememos tanto as mudanças, aos ressignificados, as reinvenções? Não estaremos com essa atitude indo contra a ordem natural que é mudar para crescer em todos os sentidos? Pense sempre que nenhum dia é igual ao outro, portanto mudamos todos os segundos e isso chama-se vida!

Busque sentir os acontecimentos ao seu redor e perceber que eles são únicos. Não descarte nada que acontece em sua existência. O aprendizado só ocorre quando estamos dispostos reinventar nossa realidade.

Importe-se com o que tem significado! Mude sua visão de mundo! Reinvente-se em todos os momentos!

Karina Uchôa, palestrante especialista em comunicação não violenta, gestão de conflitos, assédio moral e sexual e liderança.  Contato: kari.uchoa@gmail.com

Você pode Gostar de:

Pesquisadores alertam para riscos de crianças expostas a telas

Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) alertam para os riscos da alta exposição …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *