Página Inicial / Geral / PF Operação contra o tráfico de drogas

PF Operação contra o tráfico de drogas

Campo Grande/MS – A Polícia Federal deflagrou no dia (4/3) a Operação Aversa II, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa voltada ao transporte de cocaína de Corumbá/MS para o estado de São Paulo.

Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, em desfavor de investigados na operação que estavam foragidos. Todos os mandados foram cumpridos na cidade de Campo Grande/MS e cerca de 20 policiais federais participaram da ação. Os mandados judiciais foram expedidos pela Justiça Federal em Corumbá.

A primeira fase da operação foi deflagrada no dia 9/11/2020, quando foram cumpridos 13 mandados de prisão preventiva e 20 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Corumbá e Campo Grande, no estado do Mato Grosso do Sul, e Guarulhos, Presidente Prudente, Martinópolis, Regente Feijó e Bauru, no estado de São Paulo.

As investigações relevaram uma sofisticada rede logística e de lavagem de dinheiro, que incluiu carretas construídas especificamente para o transporte de drogas, além de uma estrutura de pagamentos de motoristas, auxiliares e fornecedores de entorpecentes. Durante a fase sigilosa da operação, que teve início no final de 2019, mais de meia tonelada de cocaína foi apreendida e dois motoristas foram presos. Os policiais identificaram também valores ilícitos superiores a R$ 24 milhões movimentados pela organização criminosa desde o ano de 2018.

Em razão da situação de pandemia da COVID-19, foi planejada uma logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPIs a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas, investigados e seus familiares.

Fonte/Foto: Comunicação Social da Polícia Federal no Mato Grosso do Sul

 

Você pode Gostar de:

OPERAÇÃO DA PF: desarticula organização criminosa e apreende mais de 600 kg de maconha

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou, com apoio da PMDF e PMGO, no sábado (17/4) …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *