Página Inicial / Fiscalização / Polícia prende seis pessoas envolvidas em um duplo homicídio e outros cinco suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas

Polícia prende seis pessoas envolvidas em um duplo homicídio e outros cinco suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas

A equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) prendeu, na terça-feira (01), o suspeito, 33 anos, de ser o mandante de um duplo homicídio de um casal, que ocorreu no dia 14 de maio do ano passado, no bairro Feu Rosa, na Serra.

Na mesma ação, mais cinco suspeitos foram detidos por envolvimento com o tráfico de drogas do bairro. Foram apreendidos rádios comunicadores, drogas e material para o embalo de drogas.

A operação ocorreu no Morro do Cabral, em Vitória, e foi realizada em conjunto com o Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (NOTAer) e a Diretoria de Operações Táticas (Dot), da Secretaria da Justiça (Sejus). 

Os resultados foram divulgados em entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira (02), na Chefatura de Polícia Civil.

O alvo principal da operação, um suspeito de 33 anos, tinha quatro mandados de prisão existentes em seu desfavor. Além de estar denunciado no Ministério Público como mandante do duplo homicídio de um casal, ocorrido no dia 14 de maio de 2020, no Bairro Feu Rosa, na Serra, ele é apontado como autor do sequestro do gerente de um banco e a namorada, em Ibiraçu, no norte do Estado.

O crime aconteceu no dia 06 de julho do ano passado. 

O chefe do Departamento de Homicídios e Proteção de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Romualdo Gianordoli, disse que o detido já morou nos estados de São Paulo e Minas Gerais. 

“Ele é um dos criminosos mais procurados do Estado. Tem mandado de prisão por duplo homicídio, extorsão mediante sequestro e tráfico internacional de drogas em Minas Gerais.

Graças a uma operação muito bem planejada pela DHPM, conseguimos êxito na prisão. É possível ver como ele era articulado e variava nos empreendimentos criminosos.

O indivíduo já esteve escondido em São Paulo, Minas e aqui no Estado no Morro do Cabral, em Vitória”, disse o delegado. 

Durante a ação, as equipes policiais conseguiram visualizar quatro olheiros e abordá-los antes que pudessem passar informações para a associação criminosa que integram.  

“Quando chegamos ao morro, já de início, conseguimos visualizar três olheiros e abordá-los antes que eles pudessem passar as informações para a associação criminosa da qual fazem parte.

Na sequência, com a chegada do (helicóptero) Harpia, saiu mais um indivíduo de dentro de um quintal na posse de um radiocomunicador e nós o interceptamos”, relatou a titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), delegada Raffaella Aguiar.

 

O representante do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (NOTAer) nesta operação, o delegado Arthur Bogoni, pontuou que o Harpia foi empregado para evitar que suspeitos tentassem fugir pela área de vegetação. 

“A aeronave conseguiu visualizar toda a área de atuação da polícia e monitorar possível fuga de suspeitos”, contou.

Em continuação às diligências, os policiais foram até a casa onde o alvo estaria. “Chegando lá, anunciamos a nossa chegada. Foi aberta a porta.

Ele já tinha ouvido a movimentação e tentou fugir por um buraco do casebre. Contudo, não obteve êxito e nós conseguimos realizar sua prisão naquele momento”, disse a delegada Raffaella Aguiar. 

No imóvel, foram apreendidos crack, cocaína e uma substância similar à lança-perfume, além de material usado para embalo de entorpecentes.

Todo o material foi apreendido e as pessoas foram conduzidas para o DHPP. Na unidade policial, todos foram autuados por tráfico e associação para o tráfico de drogas. 

Duplo homicídio 

Em outras ocasiões, anteriores à operação do Morro do Cabral, outros cinco coautores do assassinato de um casal, que aconteceu no dia 14 de maio, no bairro Feu Rosa, na Serra, já haviam sido presos em operações da DHPM.

Segundo as investigações, a vitima do sexo masculino tinha envolvimento com as atividades ilícitas daquela região, “Durante uma transação de uma arma calibre 12,

eles foram resolver a compra em uma casa onde estava sendo utilizada para armazenamento de uma grande quantidade de drogas. Entorno de algumas horas depois, a Polícia Militar esteve na casa onde traficantes estavam, causando um grande prejuízo para o tráfico de drogas da região”, disse a delegada Raffaella Aguiar

De acordo com a autoridade policial, os suspeitos entenderam que, como ele havia obtido o endereço da casa, somente ele poderia ter denunciado para a polícia.

Após esse episódio, os suspeitos armaram uma emboscada e, no dia 14 de maio mataram o casal que estava em via pública andando de moto.

Ainda segundo a delegada, o homem de 33 anos, presos durante a operação realizada no Morro do Cabral, era o líder do grupo que matou o casal.

O alvo dos criminosos era o homem, porém a namorada foi morta por estar com ele.

“As investigações do duplo homicídio nos levou a cinco indivíduos envolvidos neste crime, mas o único foragido era o homem de 33 anos.

Por ser extremamente sagaz, estávamos tendo dificuldade para detê-lo. Por isso, fizemos uma operação mais incisiva para prendê-lo no Morro do Cabral”, descreveu a titular da DHPM.

Ela completou: “ele é o autor intelectual e forneceu as armas do duplo homicídio, que nega participação. Nos demais crimes, informalmente, ele confessa”, ressalta a delegada.

Você pode Gostar de:

Recurso: MPC pede revogação de decisões do TCE-ES que autorizaram Alfredo Chaves e Alto Rio Novo a descumprirem mínimo em educação Publicação em 14 de setembro de 2021

O Ministério Público de Contas (MPC) interpôs agravos (tipo de recurso) pedindo a revogação imediata …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *